ATENÇÃO! Devido à situação de pandemia de Covid-19, alguns serviços tiveram seu procedimento alterado temporariamente para o atendimento online. Confira aqui.

Conselho Regional de Química finaliza o concurso público

O Conselho Regional de Química – Terceira Região finalizou, em 18 de junho, o processo do concurso público realizado para preenchimento de no mínimo 15 vagas para o quadro efetivo da autarquia. O último concurso foi realizado há 12 anos, em 2008, quando já representava uma necessidade para a melhoria dos serviços prestados pelo CRQ-III.

As inscrições ocorreram de 25 de novembro 2019 até 30 de janeiro de 2020 e as provas foram realizadas no dia 08 de março. O concurso promovido pelo CRQ-III ofereceu vagas para Técnico Administrativo; Técnico Especializado de Fiscalização e Registro; Técnico de Tecnologia da Informação e Comunicação e Analista Superior nas especialidades de compras, finanças, arquivo, gestão de pessoas, comunicação, contabilidade e fiscal.

Os aprovados serão contratados sob Regime Celetista e contarão com salário inicial de R$ 1.966,46 (médio e técnico) e R$ 3.683,15 (superior). Além dos vencimentos básicos de salário, há ainda os benefícios, que incluem auxílio-refeição ou alimentação, vale-transporte, auxílio-creche; assistência médica e odontológica, entre outros.

As provas objetivas e discursivas para o concurso do CRQ-III aconteceram nas cidades do Rio de Janeiro, Macaé, Campos dos Goytacazes e Volta Redonda. A empresa responsável pela organização do certame foi o Instituto Consulplan, por dispensa de licitação.

As vagas apresentadas pelo edital do Concurso do CRQ-III foram disponibilizadas considerando o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), aprovado na 798ª reunião Plenária, em novembro de 2018.

O presidente do CRQ-III, Rafael Almada, destaca a importância de renovação nos quadros da Autarquia e da fiscalização das atividades da Química, principal atividade do Conselho.

“O objetivo principal do CRQ-III é fiscalizar a atuação e registrar os profissionais e empresas que exerçam atividades na área da Química no estado do Rio de Janeiro, com o intuito de impedir que a sociedade seja prejudicada por empresas ilegais, que executem serviços na área da química, ou por pessoas desprovidas de conhecimentos técnico-científicos.”, afirmou Almada.

Os candidatos aprovados passaram por várias etapas até a conclusão. Da publicação do edital até o resultado final, foram mais de sete meses e muitas fases. Dentre elas: provas objetivas e discursivas; divulgação dos gabaritos; prazos para interposição de recursos; convocação para realização da aferição de negros e perícia médica; entre outras.

O presidente também enfatiza a necessidade de preservar o caráter público da gestão dos Conselhos Profissionais.

“Os conselhos são autarquias que seguem as regras de órgãos públicos na transparência de seus atos e fazem essa fiscalização sem receber um centavo do governo. O concurso reforça a necessidade dessa gestão pública focada na proteção da sociedade”, disse o presidente.