ATENÇÃO! Devido à situação de pandemia de Covid-19, alguns serviços tiveram seu procedimento alterado temporariamente para o atendimento online. Confira aqui.

Conselho Regional de Química participa de audiência pública na Alerj

O CRQ-III foi convidado a participar de Audiência Pública Conjunta na manhã de terça-feira, 11, no plenário do palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), e foi representado pelo presidente da autarquia, Rafael Almada.

A Audiência, que teve como tema “Esclarecimentos da Cedae acerca da origem dos problemas ocorridos com a água distribuída aos munícipes atendidos pela ETA do Guandu e respectivas consequências para a população, entre as quais a condição de extrema insegurança alimentar”, foi promovida pelas Comissões de Saneamento Ambiental; Segurança Alimentar; Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania; Defesa do Meio Ambiente; Economia, Indústria e Comércio e Política Urbana, Habitação e Assuntos Fundiários.

O número de órgãos de controle convidados era alto, além de funcionários da Cedae, sindicalistas e população, que do plenário manifestaram sua indignação com a demora na solução da crise e ainda sobre as tratativas de privatização da empresa.

Os órgãos de controle, como o CRQ-III, informaram sobre a atuação durante a crise, que já se estende por mais um mês.

“O CRQ insiste em dialogar com a Cedae, frisando a necessidade de a empresa ter Responsáveis Técnicos onde ela não tem, como nas estações de tratamento de esgoto, principalmente no interior do estado.”, afirmou Almada.

O CRQ-III fiscalizou, nos dias 23 e 25 de janeiro, o Laboratório de Controle de Qualidade da Água da Cedae e a Estação de Tratamento de Água do Guandu, onde não encontrou inconformidades na atuação dos profissionais da Química. Além disso, solicitou, por ofícios, que a Companhia enviasse os resultados das análises feitas após o uso do carvão ativado e da argila ionicamente modificada, o que demorou a acontecer.