ATENÇÃO! Devido à situação de pandemia de Covid-19, alguns serviços tiveram seu procedimento alterado temporariamente para o atendimento online. Confira aqui.

CRQ-III divulga seu relatório de gestão 2019

O Conselho regional de Química – Terceira Região elaborou e divulga agora o relatório de gestão relativo ao exercício de 2019

, que foi apresentado ao Tribunal de Contas da União (TCU) no dia 31 de agosto.

A produção deste relatório traz reflexões sobre os avanços concretizados e também os desafios que impelem a autarquia a buscar a melhoria constante, consciente de que sempre é possível avançar, dentro e fora das paredes do CRQ-III.

O relato sobre as ações de 2019 do CRQ-III deixa claro a importância do fator humano para o alcance de melhorias efetivas, sem deixar de lado a tecnologia. Um grande passo nesse sentido foi a realização do concurso público, que atende a determinações de órgãos de controle mas, sobretudo tem o objetivo de oxigenar e tornar ainda mais eficiente a força de trabalho do Conselho.

A realização desse concurso, no entanto, vai bem além de abrir vagas e contratar novos profissionais: o processo que culminou com as provas, na verdade, começou ainda em 2018, com a elaboração de novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários. Nesse meio tempo, o CRQ-III ainda ofereceu, a 100% de seu quadro funcional, treinamentos e cursos, por meio do Programa de Capacitação Continuada.

A participação do Conselho nas ações desenvolvidas pelo Conselho Federal de Química, estratégicas para o Sistema CFQ/CRQs e, consequentemente, para a sociedade, são destacadas no relatório, como a participação efetiva no Comitê de Relações Institucionais e governamentais (CRIG) do CFQ, coordenado pelo presidente do CRQ-III, Rafael Almada.

“Esse relatório mostra o quanto avançamos em três anos de gestão do CRQ-III e deixa claro nosso foco: uma atuação ainda mais transparente, participativa e representada pela vontade dos profissionais e empresas que têm o potencial de transformar nosso estado e nosso país.”, disse Almada.

A prestação de contas é um ato obrigatório aos órgãos públicos, orientada por normativas do Tribunal, por meio do qual os ordenadores de despesas apresentam os resultados dos atos de gestão financeira e patrimonial, praticados durante o exercício financeiro, para apresentação e julgamento da exclusiva competências das Cortes de Contas.

Como forma de tornar a prestação de contas cada vez mais útil para a sociedade, os gestores e os órgãos de controle, a Decisão Normativa (DN)-TCU 178/2019 mantém, para a estrutura do RG, o modelo da Estrutura Internacional para Relato Integrado (EIRI), desenvolvido pelo Conselho Internacional para Relato Integrado (International Integrated Reporting Council – IIRC).

O relatório, que é entregue anualmente em maio, teve o prazo de entrega prorrogado, devido à pandemia, e está disponível para toda a sociedade no link.