Esclarecimento do CRQ-III sobre explosão em Resende/RJ

O Conselho Regional de Química – Terceira Região enviou um fiscal, na manhã do dia 18 de setembro, à empresa localizada no município de Resende – RJ, onde, na tarde do dia 17, houve uma explosão seguida de uma coluna densa de fumaça, que se espalhou pela cidade.

Durante a vistoria executada pelo agente, quando foi recebido pela Gestora de Segurança de Produto, foi constatado que a explosão ocorreu às 17h20min em um reator da Spice Indústria Química Ltda., empresa devidamente registrada no CRQ-III, com três Responsáveis Técnicos também registrados e regulares junto ao Conselho.

As primeiras informações, veiculadas pela imprensa logo após o incidente, afirmavam que o produto gerado pela explosão seria Hexametileno, que é um produto inflamável, mas atóxico, segundo declarações de representantes da empresa. No entanto, foi identificada a possibilidade da presença de outros componentes na fumaça, em virtude do processo executado quando ocorreu o acidente.

O reator avariado realizava a polimerização entre os reagentes Hexaetilenodiamina e Epicloridrina, para a fabricação do produto de nome comercial DIREFIX HFD. Além destes, havia também Nitrogênio pressurizado, para promover adição de Hexaetilenodiamina. Com a explosão, foram gerados Dióxido de Carbono (CO2), Óxidos de Nitrogênio (NOx) e Ácido Clorídrico (HCl), subprodutos da decomposição dos agentes químicos envolvidos, devido a exposição atmosférica nas condições de temperatura e pressão do evento.

Estes subprodutos poderiam explicar a ocorrência de atendimentos médicos no município logo após o evento, quando pessoas buscaram atendimento médico com queixas de forte irritação no trato respiratório.

As ações adotadas pela empresa emergencialmente foram corretas, de acordo com o relatório prévio da vistoria. Foram adotadas medidas de evacuação; manobras para interromper o processo; lavagem de gases com cortina de água e recolhimento de efluentes gerados em diques de contenção.

Diante das informações levantadas preliminarmente, os Químicos responsáveis pela empresa devem realizar investigação interna para identificação das causas e medidas a serem tomadas, bem como os demais órgãos de controle municipais e estaduais, que poderão obter com o CRQ-III as informações técnicas apuradas pela fiscalização.

Como no momento as medidas emergenciais estão em andamento, a apuração será retomada pelo CRQ-III em fiscalização já agendada para o dia 25/09, quando será realizada uma nova vistoria no estabelecimento.

Cabe ressaltar que o papel da fiscalização do CRQ-III visa à proteção da sociedade, ao zelar pelo exercício correto da profissão, garantindo a presença de profissionais capacitados para executar funções e atividades da área da Química. Tais profissionais, habilitados, garantem não só o desenvolvimento e planejamento de operações seguras como a definição de ações corretivas que evitem novos incidentes.