Gerador de ozônio substitui o uso de agrotóxicos no campo

Criado por uma empresa especializada em produtos e serviços que utilizam ozônio (O3), o equipamento utiliza água ozonizada nas plantações sem a necessidade de outras substâncias. O projeto inovador foi selecionado para o programa Camp de Ecoinovação Agrotech: Sustentabilidade para a Cadeia de Grão, realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae).

A solução se conecta ao controlador de dosagem de agrotóxicos (pulverizador) do trator do agricultor. Dessa forma, é possível borrifar o oxidante nas plantações. O Coordenador da Comissão Setorial de Saneamento e Tratamento de Água da Associação Brasileira de Indústria Química (Abiquim), José Eduardo Gobbi, elogiou a utilização do ozônio.

“Realmente é mais sustentável do que os defensivos. O produto químico em si não é o problema, mas sim a falta de prevenção na utilização, principalmente quando o técnico não é qualificado para lidar com o produto”, disse Gobbi.

Já a sócia e engenheira de projetos da empresa responsável, Tais Cecchi, ressaltou os benefícios de se utilizar o componente: “O Ozônio, por ser consumido imediatamente, não gera danos à natureza. Se a lavoura estiver próxima de um rio, não terá problema”, destacou Tais.

O equipamento está em fase de testes, porém já apresenta resultados satisfatórios na cultura de café, maracujá e de tomates.