Química Verde: Sustentabilidade na Indústria Brasileira

O desenvolvimento sustentável de um segmento industrial deve contemplar as necessidades do presente sem comprometer as futuras gerações. Neste contexto, a indústria química, 4º maior participante no PIB nacional, busca cada vez mais o desenho de produtos e processos químicos visando reduzir/eliminar o uso e a geração de substâncias perigosas. No princípio da década de 90, os químicos Paul Anastas e John Warner propuseram a utilização de tecnologias químicas que visam prevenir a contaminação, nascendo assim a QUÍMICA VERDE.

Com isso, muitos dos desafios da Química Verde estão pautados em reduzir a poluição e os problemas ambientais sobre os seres vivos; eliminar os processos químicos prejudiciais ao ambiente e substituí-los por outros menos agressivos, sustentáveis, recicláveis e não persistentes; implementar métodos sintéticos para substâncias de alta eficácia com reduzida toxicidade para a saúde humana e para o meio ambiente; e ainda, minimizar o uso de energia e usar preferencialmente reagentes catalíticos.

No Brasil, os conceitos da Química Verde começaram a ser difundidos mais recentemente, a nível acadêmico, governamental e industrial. Se tomarmos como ponto de partida a gênese da Química Verde em 1980, vale ressaltar uma importante mudança de postura dos pesquisadores e acadêmicos da área, com ampliação de consciência sob o ponto de vista de difusão do conhecimento acerca do assunto. Essa tomada de consciência foi absorvida pela Indústria, com a crescente demanda a respeito da resolução do problema da poluição e dos resíduos industriais, levando a uma série de atitudes inovadoras. O Brasil possui grande relevância no cenário mundial, devido à sua posição de destaque no conhecimento da sua grande biodiversidade, tendo potencial para assumir a liderança no aproveitamento integral das biomassas, além de utilizar seus recursos abundantes: radiação solar, água, diversidade de clima e matéria-prima para produção de biocombustíveis.

Por: Instituto SENAI de Inovação em Química Verde

 

* Confira o Informativo do CRQ-III para saber mais sobre este e outros assuntos