Secretário Regional da SBQ-Rio apresenta as propostas da nova gestão e acredita na retomada do crescimento econômico brasileiro

A Sociedade Brasileira de Química (SBQ) consegue reunir cientistas, professores e estudantes em prol do crescimento do setor, satisfazendo suas necessidades de expressão e de debate científico e político. Ao longo dos anos assumiu um papel de interlocução com autoridades responsáveis pelas políticas de desenvolvimento científico e tecnológico do País. Esse viés contribui para um grande surto de crescimento da Química brasileira, em todos os seus aspectos e formas de atuação.

Em 2017, a SBQ completa quarenta anos de fundação e para comemorar sediará o Congresso Mundial de Química da IUPAC. Para tal, elegeu recentemente o novo Secretário da Secretaria Regional do Rio de Janeiro. O Conselho Regional de Química – Terceira Região entrevistou o Dr. David Rodrigues da Rocha para conhecer as propostas da nova gestão e as expectativas do setor para os próximos anos.

CRQ-III: Gostaríamos de saber quais são os projetos que o senhor pretende implantar no seu mandato?

R: A SBQ-Rio tem como público-alvo os estudantes do ensino médio, graduação e pós-graduação da área de Química e afins, bem como os profissionais destas áreas de todos os segmentos, dentre eles indústria, pesquisa e educação. Atualmente, a SBQ-Rio tem atuado principalmente através de sua reunião bianual, onde são oferecidas palestras, cursos, além da possibilidade de exposição dos trabalhos de pesquisa desenvolvidos pela comunidade científica do estado do Rio de Janeiro. Neste mandato de 2 anos pretendo ampliar as ações desta secretaria, primeiramente buscando estreitar laços com a nossa comunidade, permitindo assim seu fortalecimento e representatividade. A seguir, estabelecer maiores oportunidades de divulgação da Química em nosso estado, através de palestras e cursos distribuídos ao longo do ano e não somente em nossa reunião científica habitual.

CRQ-III: De que forma a SBQ trabalha para aproveitar os jovens talentos do Rio de Janeiro que se destacam nas Olimpíadas Estadual e Nacional de Química?

R: Atualmente não existe uma ação da SBQ-Rio neste sentido, mas considero de suma importância o aproveitamento destes jovens. Em função da distribuição de seus associados, a SBQ-Rio possui maior penetração no momento nas instituições de ensino e pesquisa e, desta forma, podemos colocar à disposição destes alunos os laboratórios de pesquisa destas instituições. Assim, estes jovens talentos teriam a oportunidade de vivenciar centros de excelência em algumas das principais instituições do país, serem fixados na área de Química, na qual já demostraram aptidão, e concorre a bolsas de Iniciação Científica Júnior, por exemplo.

CRQ-III: No atual cenário, no seu entendimento, quais deveriam ser as ações para dinamizar e aquecer o mercado das indústrias químicas no Brasil?

R: O setor industrial brasileiro tem sofrido desaceleração de suas atividades e com a área de Química não é diferente. Entendo que o aquecimento deste mercado, sobretudo no Rio de Janeiro, depende de maiores investimentos no setor, com a ampliação e diversificação de nosso parque industrial. Além disso, é de suma importância uma maior integração do setor industrial com os profissionais da área acadêmica, através de incubadoras de empresas e start-ups.

CRQ-III: Para os próximos anos qual a sua expectativa para o mercado químico?

R: A expectativa para os próximos anos é que o mercado químico avance, juntamente com a retomada do crescimento econômico brasileiro. Outro ponto de destaque, o qual deve propiciar boas notícias para o setor, é a retomada do crescimento da Petrobras, a qual já figura como 2ª maior empresa de capital aberto do país.

 

* Confira o Informativo do CRQ-III para saber mais sobre este e outros assuntos