Trio europeu leva o Prêmio Nobel de Química 2016

O francês Jean-Pierre Sauvage, o escocês Sir James F. Stoddart e o holandês Bernard L. Feringa receberam o Prêmio Nobel de Química. A escolha foi anunciada na manhã desta quarta-feira (05/10), em Estocolmo, na Suécia. O trio desenvolveu moléculas com movimentos controlados que podem realizar tarefas com a adição de energia, uma grande evolução no campo da nanotecnologia.

Francês Jean-Pierre Sauvage, é professor da Universidade de Estrasburgo

Francês Jean-Pierre Sauvage, é professor da Universidade de Estrasburgo

Britânico Sir J. Fraser Stoddart, é professor da Universidade Northwestern, nos EUA

Britânico Sir J. Fraser Stoddart, é professor da Universidade Northwestern, nos EUA

Holandês Bernard L. Feringa, é professor da Universidade de Groningen

Holandês Bernard L. Feringa, é professor da Universidade de Groningen

As máquinas moleculares são estruturas tão pequenas que um fio de cabelo tem uma espessura cerca de mil vezes maior do que elas. Segundo a Academia Real de Ciências da Suécia, em termos de desenvolvimento, o motor molecular está no mesmo estágio que o motor elétrico estava nos anos 1830, quando os cientistas exibiam várias rodas e manivelas rodando, sem saber que elas levariam ao desenvolvimento de trens elétricos e outros equipamentos que se tornaram essenciais na atualidade.

“Esse prêmio é sobre as menores máquinas do mundo” – Secretário-geral da Academia Real de Ciências da Suécia, Goran K. Hansson

Tais moléculas são capazes de realizar tarefas específicas ao serem energizadas. “Máquinas moleculares vão provavelmente ser usadas no desenvolvimento de novos materiais, sensores e sistemas de armazenamento de energia”, afirmou a instituição em comunicado.