Audiência Pública da Alerj debate a criação do Plano Estadual de Fertilizantes

As comissões de Tributação, Ciência e Agricultura da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) realizaram, nesta terça-feira, 19, audiência pública para debater a criação do Plano Estadual de Fertilizantes, proposto pelo deputado André Ceciliano com o Projeto de Lei nº 5.686/22.

Os objetivos do plano são atrair investimentos e capacitar profissionais para pesquisa, exploração, transformação mineral e distribuição de fertilizantes, além de fomentar outras atividades ligadas à atividade agrícola.

Como presidente do Conselho Regional de Química – Rerceira Região (CRQ-III) e reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), Rafael Almada participou da audiência e ressaltou a importância da convergência de iniciativas e a participação de instituições de áreas diversas na elaboração desse plano.

“Esse é um tema muito persistente na área da Química, uma discussão muito importante para o estado, mas também importante para a área da educação. Os profissionais da Química podem atuar em diversos campos dentro dessa cadeia produtiva, como na melhoria dos processos de produção, tratamento dos rejeitos dessa indústria, por exemplo. O plano deverá aproveitar o potencial que temos no estado e recuperar, também, o que já estamos perdendo nos últimos anos.”, afirmou Almada

O presidente destacou ainda que o setor de pesquisa e conhecimento agrega muito a toda essa inciativa e a pesquisa vai sempre caminhar junto ao setor produtivo, alimentando a formação de novos profissionais.

Participaram da audiência os deputados Waldeck Carneiro, presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia; Val Ceasa, presidente da Comissão de Agricultura Pecuária e Políticas Rural Agraria e Pesqueira; Luiz Paulo, presidente da Comissão de Tributação Controle da Arrecadação Estadual e de Fiscalização dos Tributos Estaduais, além de representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico; Secretaria de Ciência e Tecnologia; Presidência da República; Ministério da Agricultura; Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Faerj; Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro (Pesagro), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP).